Início Regionais Paulo Câmara busca diálogo com Jair Bolsonaro: ‘vou pedir audiência para apresentar os projetos de Pernambuco’

Paulo Câmara busca diálogo com Jair Bolsonaro: ‘vou pedir audiência para apresentar os projetos de Pernambuco’

Comentários desativados em Paulo Câmara busca diálogo com Jair Bolsonaro: ‘vou pedir audiência para apresentar os projetos de Pernambuco’

G1 Pernambuco

Eleito no primeiro turno das eleições 2018 para o segundo mandato, o governador Paulo Câmara (PSB) afirmou, nesta segunda (7), que vai buscar uma relação tranquila com o presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Vamos buscar ampla relação com o governo federal, como sempre temos feito. Vou pedir uma audiência para apresentar os projetos do estado ainda hoje”, disse, em entrevista ao Bom Dia PE.

Apesar de ter apoiado o candidato Fernando Haddad (PT) durante a campanha eleitoral, Câmara afirma que é preciso buscar diálogo com Bolsonaro, assim como mencionou no discurso de posse. “A eleição passou. Acabou. Agora a gente tem que trabalhar muito para Pernambuco. […] Da minha parte [a relação com Jair Bolsonaro] vai ser muito tranquila, institucional”, afirmou.

Além de mencionar a busca por parcerias com a sociedade civil e a iniciativa privada, o governador de Pernambuco afirmou que vai buscar conversar com o presidente ainda em janeiro para expor a realidade do estado.

Um dos pedidos de Câmara ao governo federal é a parceria financeira para a entrega de 20 mil casas populares. A promessa foi feita durante sua campanha eleitoral.

“Eu não vejo dificuldade de que isso possa ser feito no amplo entendimento com o governo federal dentro do programa Minha Casa Minha Vida e dentro de outros programas para que a gente possa realmente avançar na questão da construção de moradias”, disse.

O governador de Pernambuco também busca recursos para finalizar as obras de quatro barragens no interior do estado.

“A gente concluiu Serro Azul porque era a mais importante. Estamos com licitação pronta tanto de Panelas quanto de Igarapeba. Temos recursos no Orçamento Geral da União e esperamos que, com a finalização da licitação, esses recursos venham para Pernambuco”, explicou.

Além da finalização de obras paradas, outros dois desafios elencados por Câmara para os próximos 4 anos de mandato foram a criação de empregos e a melhoria dos serviços públicos nas áreas de saúde, educação, segurança pública, agricultura familiar e abastecimento.

Segurança pública
Apontando a redução no número de homicídios em Pernambuco nos últimos 13 meses, Câmara estipulou uma meta para 2019, quando o programa Pacto pela Vida completa 11 anos. “A meta em 2019 é ter um ano entre os melhores do Pacto pela Vida, para que aquela redução que nós tivemos de 2007 a 2013 possa voltar a existir em Pernambuco”, afirmou o governador.

Saúde
Segundo o governador de Pernambuco, a proposta para a nova gestão é intensificar a entrega de medicamentos em farmácias públicas, mesmo diante do aumento no número de pessoas atendidas pelo serviço público.

“Em 2007, tínhamos 8 mil pessoas atendidas pelo serviço público. Hoje em dia temos 58 mil. Por isso tentamos descentralizar a entrega para todo o estado e potencializar a amplitude dos serviços”, alegou.

Troca de secretariado
Segundo o governador, a troca de 17 secretários foi motivada pela “necessidade de buscar a melhoria dos serviços”. “Vamos buscar fazer com que as coisas aconteçam mais rápido para a população”, disse.

ICMS
A respeito do aumento do aumento de 2% do ICMS em produtos como bebidas alcoólicas e água mineral, Câmara afirmou que o processo foi feito de forma “conservada”, dentro de “produtos não essenciais”.

“Na verdade, nós fizemos uma ação muito mais importante, que foi a diminuição da alíquota do ICMS no óleo diesel, o que atinge toda a indústria pernambucana”, afirmou, alegando que a medida vai ocasionar geração de emprego e renda.

13º do Bolsa Família
O governador de Pernambuco também foi questionado a respeito do pagamento do 13º do Bolsa Família, uma promessa anunciada nas campanhas dele e do presidente Jair Bolsonaro.

“Quando nós lançamos o 13º do Bolsa Família, o governo federal ainda não tinha lançado e lançou, então nós adaptamos ao nosso, que, na verdade, vai ser um 14º. Vamos pegar as pessoas que estão cadastradas no Bolsa Família para termos o controle da devolução do ICMS que elas pagam”, disse.

carregar mais artigos relacionados
comentários fechados